separador

Heráldica

 

Brasão

brasao

Escudo de azul, dois leões de ouro, sustentando cada um nas mãos um báculo de ouro, postos em cortesia, alinhados em faixa; em chefe, mitra de prata com os seus Fanhões, guarnecida e forrada de vermelho; campanha diminuta ondada, de prata e azul de três tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco com a legenda a negro: “Mire de Tibães”.

Bandeira

Branca. Cordão e borlas de prata e azul. Haste e lança de ouro.

Memória descritiva e explicativa dos símbolos heráldicos

Leões com báculo – como símbolo do mosteiro beneditino, o verdadeiro ex-libris da freguesia.

bandeira

As suas origens remontam à era proto-medieval (talvez 562), ao tempo do monarca suevo Theodomiro. O período da fundação e os tempos subsequentes assistiram ao alargamento da influência religiosa e material do Mosteiro, tendo-se assistido a um movimento notável de doações.

Hoje, o Mosteiro S. Martinho de Tibães é o resultado de amplas campanhas de reconstrução e ampliação que decorreram nos séculos XVII e XVIII, respondendo actualmente a uma linguagem mista, entre o primeiro barroco e o rocaile, o que transformou num dos mais importantes repositórios da história, da religião e da arte portuguesa. Composto por quatro partes principais: Igreja, Alas Conventuais, Ruínas e Cerca, o Mosteiro de Tibães é alvo, ao momento, de uma vasta intervenção integrada de restauro, recuperação e reabilitação que permitirá a sua dinamização cultural e a fruição pública.

Mitra – símbolo do padroeiro da freguesia – S. Martinho

Campanha Ondada – representa o Rio Cávado – a freguesia de Mire de Tibães fica situada na margem esquerda deste rio.